Mitos e Verdades sobre a Cirurgia Bariátrica

Mito. Na maioria dos casos, o ganho de peso ocorre quando o paciente não assume hábitos saudáveis. Como a adoção de dieta menos calórica e mais nutritiva e a prática de exercícios físicos regulares.

Verdade. A perda mais significativa de peso ocorre nos primeiros seis meses. Daí a importância de o paciente seguir com disciplina as recomendações médicas nessa primeira etapa do pós-operatório.

Verdade. A paciente é liberada para engravidar sem riscos após 15 meses de pós-operatório.

Durante esse período, recomenda-se a anticoncepção. No entanto, os anticoncepcionais orais (pílulas) devem ser evitados.

Verdade. Somente em situações especiais não é possível realizar esse tipo de cirurgia. É o caso, por exemplo, de pessoas submetidas a cirurgias abdominais prévias.

Verdade. De fato isso ocorre. Entre os pacientes, as mulheres têm maior tendência à anemia. Isso por conta da menstruação, perda de ferro e pouca presença de carne vermelha na dieta.

Essa situação pode ser minimizada com a ingestão de alimentos ricos em ferro. Se necessário, com a utilização de suplementos vitamínicos.

Verdade. Deve-se prestar toda a assistência e orientação à família do paciente, oferecendo o máximo de informações solicitadas. Quando necessário, também consulta psicológica.

Os novos hábitos a serem adotados pelo paciente devem ser compartilhados e estimulados por todos que convivem com ele.

Mito. Normalmente, as dores se manifestam somente no primeiro dia do pós-operatório.

Isso acontece porque o abdômen precisa ser inflado com gás carbônico na cirurgia por videolaparoscopia. Isso possibilita a melhor manipulação dos órgãos internos.

Fontes: Portal da Saúde / Ministério da Saúde; Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica; e Dr. Roberto Luiz Kaiser Junior

Fechar Menu