Iodo – O que é? Benefícios, Tabela Nutricional, Indicações e Contraindicações

Iodo – O que é? Benefícios, Tabela Nutricional, Indicações e Contraindicações

Você sabe quais os benefícios do iodo encontrado nos alimentos para a sua saúde? Confira, aqui essas e outras informações completas!

O iodo é um mineral muito necessário para o organismo, principalmente para a tireoide, desde que seja consumido nas quantidades adequadas. Afinal, sua deficiência faz mal, igualmente quando consumido em excesso.

Conheça mais sobre o iodo (I), saiba o que o excesso e a falta podem fazer no organismo e quais cuidados seguir.

O QUE É IODO?

Esse é um mineral importante para que a glândula tireoide funcione. Essa glândula desempenha importantes papéis no corpo, já que é responsável pela sintetização de alguns hormônios, mais especificamente a tiroxina (T3) e triiodotironina (T4).

Estes atuam principalmente no crescimento físico e neurológico, no metabolismo basal entre tantas outras funções.

Ou seja, a quantidade inadequada de iodo no organismo pode prejudicar as glândulas tireoide e, por sua vez, a produção de hormônios.

DISTÚRBIOS CAUSADOS PELO IODO: DEFICIÊNCIA E EXCESSO

A deficiência do iodo se tornou bastante rara após a iodação do sal. Contudo, sua falta está relacionada a doenças como o bócio e o hipotireoidismo. Nesse quadro, a glândula da tireoide não consegue produzir os hormônios necessários para desempenhar suas funções.

Consequentemente, causa problemas de crescimento, deficiência mental, aumento da mortalidade infantil e infertilidade.

Em gestantes, pode causar parto prematuro, defeitos neurológicos, QI muito abaixo do normal, surdez e até mesmo aborto. Em crianças, pode provocar problemas no crescimento e desenvolvimento.

Por outro lado, o excesso de iodo também pode causar problemas, mas não tão sérios quanto a falta deste. Quando é consumida uma quantidade muito maior do que a recomendada, pode causar o hipertireoidismo.

BENEFÍCIOS DO IODO

Quando consumido na maneira adequada, o iodo proporciona bons benefícios para o organismo. Veja alguns:

FUNCIONAMENTO CORRETO DAS GLÂNDULAS DA TIREOIDE

Esse já é um enorme benefício! Quando as glândulas da tireoide funcionam adequadamente, garantem um bom funcionamento do organismo de um modo geral.

Além disso, evita-se doenças e vários outros problemas e distúrbios mentais.

AUXÍLIO NO CRESCIMENTO

Esse benefício está diretamente ligado ao primeiro. A tireoide é responsável por produzir alguns hormônios que, por sua vez, são responsáveis pelo crescimento, tanto físico como neurológico. Em alguns casos, para crianças que apresentam crescimento abaixo do normal, recomenda-se o uso de suplementação de iodo.

A quantidade adequada desse mineral promove um bom crescimento, além de um desenvolvimento neural de acordo com a idade do indivíduo.

É importante que gestantes também mantenham a alimentação saudável e balanceada, principalmente das 12 primeiras semanas, período em que o feto está sendo desenvolvido.

CUIDADO DO CORAÇÃO

Outro benefício é a manutenção do coração. O composto promove um bom ritmo cardíaco e também mantém a pressão arterial regulada. Isso evita ataques e problemas cardíacos.

Tudo isso só acontece devido às glândulas tireoide, que só funcionam corretamente com a quantidade certa de iodo.

TABELA NUTRICIONAL DO IODO

Quando se trata do iodo, logo vem à mente o sal. Esse tempero é o item onde mais se concentra esse macronutriente. Mas, além dele, é possível encontrar o iodo em uma grande lista de alimentos. Veja:

Sal iodado – 6g = 444mcg (microgramas);
Camarão – 100g = 90mcg;
Algas – 100g = 60mcg;
Ostras – 100g = 38mcg;
Badejo – 100g = 30mcg;
Atum – 100g = 30mcg;
Bacalhau – 100g = 20mcg;
Aipo – 100g = 15mcg;
Agrião – 100g = 15mcg;
Caranguejo – 100g = 13mcg;
Salmão – 100g = 11mcg;
Leite de vaca – 100g = 11mcg;
Arenque – 100g = 10mcg;
Alho – 100g = 9mcg;
Carne bovina – 100g = 5,3mcg;
Fígado de boi – 100g = 5mcg;
Aveia – 100g = 4mcg;
Arroz – 100g = 3,6mcg;
Sardinha – 100g = 3,5mcg.

RECOMENDAÇÕES E CONTRAINDICAÇÕES

O iodo é bom quando usado de acordo com as doses recomendadas, que variam de acordo com a idade de cada indivíduo. De acordo com OMS (Organização Mundial da Saúde), recomenda-se:

– Crianças de 0 até 1 ano: 90 mcg por dia ou 15 mcg/kg/dia;
– Crianças de 1 ano a 6 anos: 90 mcg por dia ou 6 mcg/kg/dia;
– Crianças de 7 a 12 anos: 120 mcg por dia ou 4,0 mcg/kg/dia;
– Adolescentes e adultos: 150 mcg por dia ou 2,0 mcg/kg/dia;
– Gestantes e lactantes: necessidades chegam a 200 mcg por dia ou 3,5 mcg/kg/dia.

É importante frisar que crianças em fase de introdução alimentar (entre 6 e 12 meses), devem consumir alimentos sem o uso de sal. Isso acontece porque o organismo dos bebês precisa de pouca quantidade de iodo para se aproveitar de suas vantagens.

Para este caso, o iodo presente nos alimentos e no leite materno é suficiente.

Consulte médicos e especialistas regularmente para monitorar seu estado de saúde. Quanto antes ele diagnosticar um possível problema, mais fácil será tratá-lo.

Por Thais Karpowiski
Portal Viver Bem